Informativo de prevenção à Covid-19

Visando adequações e entendimentos para minimizar riscos de contaminação pelo COVID-19, determinamos as seguintes recomendações:

USO OBRIGATÓRIO DE MÁSCARA

• Trata-se de proteção individual para circulação durante a vigência das medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia da Covid-19.

ÁREAS COMUNS

• Para reduzir as chances de transmissão, a orientação é não permanecer perto de um grande número de pessoas.

OUTRAS RECOMENDAÇÕES

• Contribuir com a higienização no local de trabalho.
• Lavar as mãos constantemente com água e sabão.
• Higienizar as mãos sempre que tocar em objetos recebidos de outras localidades.
• Qualquer sintoma respiratório, resfriado, febre dentre outros, comunicar imediatamente o RH para orientação.

COMO SE PROTEGER

As recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:
• Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%.
• Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.
• Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
• Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado.
• Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.
• Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto.
• Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças.
• Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.
• Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.
• Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios, teatros, shoppings, shows, cinemas e igrejas. Se puder, fique em casa.
• Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar.
• Durma bem e tenha uma alimentação saudável.
• Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saídade sua residência.

PARA MELHORES DETALHES, SEGUE ORIENTAÇÕES:

* A OMS orienta que as estratégias devem ser adotadas mesmo nos países em que não há casos de coronavírus, já que servem para outras infecções também.

1 Mantenha o ambiente de trabalho limpo e higienizado

É preciso limpar as superfícies das mesas e estações de trabalho com desinfetante regularmente porque a contaminação de superfícies é uma das principais formas de disseminação do coronavírus e outras infecções.

2 Incentive a lavagem completa das mãos pelos funcionários, colaboradores e clientes

Coloque dispensadores de álcool em gel ou desinfetante para as mãos no local de trabalho e certifique-se que eles estejam abastecidos. Além disso, coloque folhetos informativos com as instruções para a lavagem correta das mãos, principalmente nos banheiros. As empresas podem ainda realizar palestras com agentes de saúde e segurança ocupacional para seus funcionários sobre o coronavírus. A correta lavagem das mãos com água e sabão é uma medida importante para impedir a infecção pelo ví

3 Promova a higiene respiratória no local de trabalho

Distribua pôsteres no ambiente de trabalho para promover a higiene respiratória. Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com um lenço de papel e jogue-o no lixo. Caso não tenha um lenço no momento, você pode colocar o cotovelo na frente da boca e do nariz. Além disso, evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. As empresas podem fornecer máscaras e lenços de papel para quem apresentar tosse ou coriza no trabalho, além de lixos com tampa para o correto descarte de material contaminado.

4 Incentive seus funcionários doentes a trabalharem de casa

Para a OMS, as empresas devem incentivar os funcionários a ficarem em casa, caso eles apresentem tosse ou febre leve (37.3º ou mais). Se eles tiverem que tomar medicamentos como paracetamol, ibuprofeno ou aspirina, que podem mascarar a infecção, também devem permanecer em casa. É uma medida importante para evitar a contaminação dos outros funcionários.

* Com informações da Organização Mundial da Saúde
VIAGENS A TRABALHO

Os empregadores e os empregados devem se perguntar se as viagens a trabalho para países com casos de Covid-19 são realmente necessárias. No caso de serem mantidas, algumas medidas de prevenção devem ser seguidas:

ANTES DA VIAGEM

Certifique-se de ter as últimas informações sobre os locais onde há casos de coronavírus. Para isso, basta acessar o site da OMS ou os órgãos responsáveis do país de origem e de destino. No Brasil, o Ministério da Saúde está no momento monitorando 16 países para casos suspeitos. São eles: Alemanha, Austrália, Emirados Árabes Unidos, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Camboja, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Japão, Singapura, Tailândia, Vietnã.
Evite enviar empregados com doenças crônicas (como diabetes, problemas cardíacos e doenças respiratórias) para países onde já há casos de coronavírus. Quando a viagem for inevitável, informe seus funcionários sobre as medidas preventivas e forneça álcool em gel para facilitar a correta higiene das mãos.

DURANTE A VIAGEM

As empresas devem incentivar seus funcionários a lavarem as mãos regularmente e manter pelo menos um metro de distância das pessoas que estejam com tosse ou espirrando. Além disso, o empregador deve garantir que os empregados em viagens a trabalho saibam o que fazer e com quem entrar em contato, se eles se sentirem mal durante a viagem.
Outro ponto importante é que as instruções das autoridades locais sejam seguidas durante a viagem. Por exemplo, se foi dito que um lugar não deve ser visitado, é importante que a determinação seja seguida. As restrições nos países de destino devem ser seguidas por todos, inclusive os turistas.

AO VOLTAR DE VIAGEM

Ao retornar de uma viagem a trabalho, é preciso monitorar possíveis sintomas por 14 dias, caso se tenha viajado para algum país com surto de coronavírus. A temperatura deve ser medida duas vezes ao dia. Se o funcionário apresentar tosse ou febre baixa (37.3° ou mais), deve ser orientado a ficar em casa e evitar contato próximo com outras pessoas, até mesmo os familiares. É importante visitar um médico para o correto diagnóstico.